04/06/2022

Enfrentamento do Preconceito Nos Primeiros Anos do Ensino Fundamental

            Historicamente ouvimos falar em preconceito, sendo assim, devemos realizar o enfrentamento do mesmo no ambiente educativo.        

Acredito, que precisamos ensinar os estudantes desde muito pequenos a respeitar as “diferenças” das crianças com deficiência, que não podem ser motivo de desrespeito por parte dos demais sem “deficiência”.

A criança precisa reconhecer a “diferença”, do coleguinha ou amiguinho, aceitar as limitações e perceber suas habilidades e talentos, pois é através das interações sociais que mudanças são promovidas.

Desta forma, os educadores são os mediadores do processo inclusivo, bem como, do enfrentamento do preconceito, pois é na escola ou sala de aula que muitas vezes surgem as primeiras demonstrações do mesmo.    

No momento da percepção do ato preconceituoso intervenções precisam ser feitas para banir o ato, pois a criança que sofre essas ações sente-se incomodada, triste e impotente diante daquele que pratica o ato preconceituoso, sendo assim, as pessoas mais adequadas para agir na  defesa desta criança vítima do preconceito são os profissionais  do espaço educativo.

A escola sendo este espaço educativo precisa realizar o enfrentamento do preconceito com intervenções pontuais para que a criança que comete este ato aprenda que está faltando com respeito ao colega com uma deficiência e também para que a criança com deficiência sinta-se acolhida e protegida pela escola que seus pais escolheram para lhe cuidar e ensinar conhecimentos relevantes para uma vida em sociedade.

            Os professores juntamente com a equipe escolar são a chave da mudança, tendo a missão de contribuir para o desenvolvimento de cidadãos respeitosos que aceitam o “diferente” com suas especificidades, os quais precisam da amizade e parceria dos demais para crescerem felizes na sociedade.

Portanto, desejo que com o passar dos anos e séculos possamos não ouvir falar em preconceito, que a sociedade seja um exemplo de aceitação e respeito de todas as pessoas com limitações e que possamos vivenciar o pleno amor fraternal.


Autora: Carlise 

0 comentários:

Postar um comentário