05/05/2016

Relações familiares

Ontem depois do trabalho estava sentada no ônibus indo para casa, fazendo minhas orações e agradecimentos, quando de repente, sou surpreendida pela intervenção de uma senhora.
Esta senhora começa a falar da sua vida comigo e eu sem saber o que fazer fico ouvindo.
A senhora começa a desabafar que cria sua neta, que tem 10 anos, pesa 70 kg, que é anciosa, agitada e que agora vai começar a tomar Ritalina para se tranquilizar.
Tentei enfatizar para aquela vó que a Ritalina não é nada saudável, sendo extremamente prejudicial a menina, no entanto, a vó estava convencida que essa era a solução para seus problemas.

Essa conversa me fez refletir sobre como andam as relações familiares atualmente.
A situação da menina poderia ser resolvida bem mais fácil, dando-lhe um chá de Camomila por exemplo para controlar sua ansiedade, ou um tratamento psicológico para aprender a controlar sua compulsão alimentar.
Lamentavelmente, as terapias alternativas são desconsideradas pela maioria das pessoas, que preferem tratar seus filhos com drogas que viciam e mantém estes dependentes desde pequenos. Fico pensando como serão essas crianças quando se tornarem adultos, como vão controlar suas ansiedades e expectativas diante de um mercado de trabalho por exemplo?
As relações familiares estão cada vez mais desestruturadas, os pais repassam sua responsabilidade para um medicamento altamente viciante para controlar a criança que ele deveria ajudar a se controlar.
É triste perceber que os adultos não conseguem ajudar seus filhos através de uma boa conversa, do diálogo e precisarem da Ritalina para regrar e controlar os mesmos, devido um sistema familiar fracassado!

Um comentário:

  1. As Relações Familiares estão conturbadas por que vem surgindo uma nova estrutura familiar, uma nova compreensão do que é uma estrutura familiar. E as crianças que já estão aqui entre nós e outras que estão chegando é para nos ensinar essa nova estrutura familiar. Como é difícil quebrarmo nosso paradigmas, nossas crenças e admitir que os filhos estão aqui para nos ensinar.

    ResponderExcluir