05/06/2016

Voltar a enxergar

Bom dia pessoal!
Desejo um domingo fantástico!
Hoje passei por aqui para responder a pergunta mais recebida por mim nestes 16 anos cega.
Carlise você quer voltar a enxergar?
Minha resposta é:
Não quero voltar a enxergar!
Sou muito feliz nesta condição!
Quando tinha baixa visão sofria muito por ser incompreendida pelos professores por exemplo, não entendiam que precisava de um atendimento especial, sinceramente o mundo não está preparado para dar atenção as pessoas com baixa visão.
Até 1999 vivia angustiada na escola por não superar as expectativas dos professores, sei que não era culpada por ter baixa visão, mas me culpava por meu desempenho ser inferior ao de alguns colegas.
Depois que perdi a visão me senti aliviada, como se tirasse um peso das costas, pois agora eu não precisava mais ficar me justificando por enxergar pouco, parecia que as pessoas não acreditavam que eu enxergava quase nada.
Imagino como deve ser desafiador para as pessoas que vivem nos dias atuais com baixa visão.
Acho a baixa visão pior que ser cega.
Depois que perdi a visão não restava mais dúvida de quem eu era.
Foi dolorido me assumir como pessoa cega, mas foi a melhor coisa que aconteceu na vida.
Sei que deve ser impactante para vocês ler esse depoimento, mas é a realidade.
16 anos depois de ter ficado cega percebo que as pessoas que enxergam valorizam aspectos insignificantes de uma pessoa, já nós sem visão olhamos na essência, o que é muito melhor!
As pessoas que enxergam reparam muito a aparência externa e nós olhamos para o interior, conseguimos saber quando alguém está triste ou alegre, animado ou desanimado, até quando é verdadeira ou não.
Fico triste quando estou numa roda de pessoas e ouço as mulheres por exemplo, falando de uma que está vestida mais simples. Nem conversaram com ela, mas já estão julgando.
Para nós cegos não tem essa frescura de eu não me relaciono com negros, pardos, índios, para nós todos são iguais.
Desta forma eu prefiro ser cega e conhecer as pessoas como realmente são, não me importa se usam tatuagem, anda bem ou mau vestida.
Importante é conviver com pessoas legais, adoráveis e felizes independente da sua aparência física!
No entanto, menos preconceito e mais respeito com a diversidade!

0 comentários:

Postar um comentário